top of page

Efeito único da MRF na Fertilidade

Atualizado: 29 de mai. de 2023

12 meses contínuos: ... transformação de um solo degradado em solo “cada vez mais fértil”


MRF = madeira rameal fragmentada = ramos picados (abacateiro). Metodologia: 2 tratamentos sem repetição, COM e SEM. Parcelas de 40 m2. Fertilidade criada exclusivamente pela combinação de uma “terra de barranco” + cobertura morta de MRF, sem insumos, sem outro manejo. A não ser o tempo! 12 meses não é pouco, tempo suficiente para os processos de vida atuarem nesta entreface solo/MRF. A seguir o passo a passo: instalação + percepções de uma crescente fertilidade do solo. Plena, como iremos perceber! Fertilidade plena = Fisica + Biologica + Quimica = típico adubos regenerativos Sumidouro de carbono = carbon sink = camada/objeto onde carbono acumula. Autodinâmica = processos de vida que acontecem por si, se houver ambiência.


1º Passo: selecionar o local: um solo degradado, corte de barranco de PVE/serra do Japi; horizonte B. Inicio de colonização por plantas pioneiras.

2º Passo: aplicar camada de 2 cm de MRF (galhada de abacateiro) = 4kg/m2 .

MRF no dia da aplicação MRF 30 dias após aplicação


3º Passo: deixar camada de MRF interagir com o solo por 12 meses

Neste período ocorreram diversos processos, frutos da atividade biológica:

- Partículas soltas de MRF uniram-se, formando camada agregada (pan);

- Debaixo deste pan a biota do solo revolve e ocupa o solo superficial; - A cor do solo se modifica, tornando-o mais escuro, marrom-escuro; - É nítida estruturação do solo pela atividade biológica: formou agregados; - Plantas indicadoras demonstram maior disponibilidade de nutrientes!


Ressalvas

a) Trata-se de um estudo em condições extremas: um solo bastante pobre, um corte de

barranco, compactado pelos tratores que fizeram a terraplanagem, dificultando o

crescimento até do capim brachiaria.

b) Não se trata de um solo de cultivo, que já traz um histórico de adubações, já vem

razoavelmente fértil, e que recebe um PLUS pela MRF.

c) O enfoque não é do aporte de um insumo, preenchendo o solo de fatores físico-

químicos que logo se acabarão, num efeito de curto prazo.

d) O enfoque é sobre os processos biológicos/regenerativos que ocorrem graças à

MRF = NUTRIR o solo de vitalidade consolidada, conceito que recebi de Ernst Goetsch, na

Bahia, em 1987. Fertilidade se forma no tempo!


4º Passo: Colher as Evidências visíveis: 12 meses depois


A – Coloração das plantas indicadoras (invasoras)

B – Densidade das plantas invasoras = supressão do mato

C – Coloração do solo


5º Passo: análise da fertilidade física do solo (bem drenado)


Densidade aparente (DA) pelo anel volumétrico: Macroporos


A Microporosidade não pôde ser medida, mas foi calculada, segundo proporções: Para 100% de aumento de M.O. do solo, o aumento de micro poros é de 80%. Tivemos 47% de aumento no teor de M.O. = 37% de aumento de microporos.


II - Questionamentos/Insights


Perceberam a sincronia? As evidências apontam: fertilidade física + biológica melhoram conjuntamente. Estamos diante de uma demonstração clara: a sincronicidade na melhoria das 3 fertilidades: a biológica, a física e a química (demonstrada logo a seguir). Agora falta entender por que?!!


Quando atuamos por meio de ADUBOS REGENERATIVOS, com ênfase nos efeitos biológicos sobre o solo (MRF forma capa que PROTEGE & NUTRE a vida do solo), a sincronia acontece por autodinâmica e surpreende o agricultor: mais produtividade menos pragas, menos doenças e menos plantas invasoras!


6º Passo: colher análises químicas das duas amostras de solo

Observações:


- Melhora teor da maioria dos nutrientes disponíveis, alguns poucos diminuem. - Estes que diminuem são micronutrientes dependentes do pH, que subiu.

- Percebe-se uma melhora generalizada e equilibrada na oferta nutricional.

- Acompanhada de uma melhora sensível no pH /na M.O. do solo.

- Como se fosse uma leve calagem/a MRF adicionasse carbono constantemente.

- Demonstrando o potencial da MRF de fazer do solo um sumidouro de carbono.


III - Conclusões:

- Fertilidades física + biológica + química caminharam juntas.

- Trata-se do clássico efeito de um adubo regenerativo: a MRF

- No manejo convencional ações físicas e químicas são distintas. Aplica-se diversos insumos, além do preparo físico do solo, isoladamente.

- Vejam como a MRF consegue articular tanto os efeitos físicos, quanto os químicos, através dos efeitos biológicos (!) de sua aplicação em cobertura.

- O eixo angular é a fertilidade biológica, ela move as outras duas!


Observação final: foram aplicados apenas 33% da tecnologia ART para regenerar o solo. Faltaram a adubação verde (adensada) e o manejo do mato-folha-larga. Imagine quando forem os 3 juntos?! Será regenerabilidade plena.



Cabreúva, outubro de 2017 a outubro de 2018


Eng. Agr. Manfred v. Osterroht agricultura@regenerativa.art.br



Artigo para download:

mrf puro na regeneração de fertilidade
.pdf
Download PDF • 12.79MB

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Komentarze


bottom of page